As Vitaminas e os Olhos

As vitaminas são substâncias essenciais ao funcionamento normal do organismo humano. No entanto, só uma pequena parte é produzida pelo próprio organismo.

Como podemos satisfazer, diariamente, o organismo dessa necessidade vitamínica?

  • • Através da alimentação
  • • Através de suplementos vitamínicos

São conhecidas, actualmente, 13 vitaminas diferentes. As deficiências vitamínicas podem ocorrer quando a alimentação não é equilibrada ou quando o organismo é sujeito a grandes esforços físicos ou a doenças.

Tensões físicas ou psíquicas, gravidez, amamentação e pessoas idosas necessitam de quantidades adicionais de vitaminas.

As vitaminas também têm funções antioxidantes, ou seja, ligam-se aos radicais livres (moléculas nocivas que são produzidas pelo organismo durante a conversão dos alimentos em energia ou quando o organismo é exposto a substâncias tóxicas como tabaco, alimentos ricos em gordura, luz ultravioleta, etc.) para evitar o envelhecimento precoce dos tecidos.

São as vitaminas importantes para os olhos?

A deficiência de determinadas vitaminas podem dar origem a distúrbios visuais ou mesmo levar à cegueira.

As vitaminas essenciais para os olhos são:

  • • vitamina A
  • • vitamina B2
  • • vitamina C
  • • vitamina E

A vitamina A é essencial para o processo da visão, principalmente para a visão nocturna.

O primeiro sintoma de deficiência em vitamina A é a cegueira nocturna (incapacidade de ver com pouca luz), secura ocular e lesão da córnea (queratomalacia). Xeroftalmia é o termo usado para designar a secura da conjuntiva e da córnea devido à carência de vitamina A.

Alimentos ricos em vitamina A:

  • • Cenouras
  • • Tomates
  • • Espinafres
  • • Gema de ovo
  • • Fígado
  • • Pimento verde e vermelho
  • • Vegetais de cor

A dose diária recomendada (DDR) nos adultos é de 1000 mg para os homens e de 800 mg para as mulheres. As necesssidades adicionais são de 200 mg na gravidez e de 400 mg na amamentação.

A vitamima B2 (riboflavina) é essencial à actividade de enzimas que intervêm na decomposição e utilização de hidratos de carbono, proteínas e gordura, na produção de energia. A carência de riboflavina pode provocar baixas de acuidade visual e sensibilidade à luz (fotofobia).

Alimentos ricos em vitamina B2:

  • • Levedura de cerveja
  • • Pão enriquecido
  • • Leite
  • • Gérmen de trigo
  • • Fígado
  • • Vegetais verdes
  • • Ovos
  • • Feijão de soja

A DDR varia entre 1,4 e 1,8 mg nos homens. Nas mulheres entre 1,2 e 1,3 mg, durante a gravidez acresce 0,3 mg e 0,5 mg durante a amamentação.

A vitamina C (ácido ascórbico) é um excelente Antioxidante. Como foi dito, os antioxidantes previnem o envelhecimento, por essa razão, a vitamina C ajuda a prevenir as cataratas. Estudos revelaram que pode reduzir a pressão intra-ocular em doentes com glaucoma.

Alimentos ricos em vitamina C:

  • • Citrinos
  • • Tomates
  • • Vegetais de folha verde
  • • Pimentos verdes
  • • Morangos
  • • Groselhas
  • • Couve crua

A DDR varia entre as 60 e as 100 mg, nos adultos.

A vitamina E, tal como a vitamina C, tem uma função antioxidante.

Estudos indicam que previne a formação de cataratas. Estão a ser efectuados estudos no sentido de se saber se há uma contribuição para a prevenção da degenerescência macular.

Alimentos ricos em vitamina E:

  • • Óleos vegetais (milho, soja)
  • • Nozes
  • • Carne
  • • Vegetais de folha verde
  • • Cereais
  • • Gérmen de trigo
  • • Gema de ovo

A DDR para adultos é de 10 mg para os homens e de 8 mg para as mulheres, quando grávidas devem adicionar 2 mg e 3 mg quando amamentam.

A luteína é um carotenoide, ou seja, um pigmento (corante) natural, amarelado, que se encontra nos vegetais de folha verde e frutos.

É, juntamente com a zeaxantina, o principal pigmento que se encontra na mácula (principal área de visão).

É um antioxidante e obtem-se através da alimentação ou de suplementos vitamínicos.

A principal função da luteína é proteger a mácula dos raios solares, pois filtra os raios UV evitando desta maneira que haja a degenerescência macular relacionada com a idade (DMRI).

Estão a ser realizados estudos para se definir se a luteína também contribuí para a prevenção das cataratas.

O tabaco, o álcool e a exposição solar diminuem a concentração de luteína na mácula, tornando-a desta maneira mais vulnerável aos raios UV.

As pessoas de olhos claros também têm menor concentração de luteína na retina.

Alimentos ricos em luteína:

  • • Espinafres
  • • Brócolos
  • • Vegetais de folha verde escuro (crus)
  • • Nabiça
  • • Ervilhas
  • • Alface
  • • Tangerina
  • • Kiwi

Estudos indicam que a DDR de luteína é de 6 mg.